Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2010

Mau tempo

Isto anda cinzento por estas bandas. Faz frio, vento, chuva. Não estou a falar da metereologia, embora essa também não esteja nos seus melhores dias.
Estou cansada de lutar. Mas cá vou eu de novo, porque enquanto achar que posso fazer algo mais, farei. Não consigo mais, porém também não consigo desistir. É a minha família, é a minha mãe e eu não posso desistir assim. Espero, do fundo do meu coração, que não chegue o dia eu que atinja o meu limite. Vou forçando todos os dias um pouco mais, vergando um pouco mais, torecendo um pouco mais o braço. Chegará o dia em que não poderei mais. Porque já me sinto desistir aos poucos e vou indo simplesmente porque não vejo muitas mais opções, vou tentando porque não encontro alternativas que me devolvam esperanças. Vou, não porque acredito muito que tudo irá ficar bem, mas apenas porque não tenho solução e não sei ficar parada.
A mente não pára, por outro lado também não pára em lugar nenhum. Está desorganizada, não sabe em que se concentrar. Esto…
Se partir é a solução então eu vou. Vou por mais que doa e por mais que ache errado, tenho de ir. Não sei viver assim, não sei mesmo. Debaixo de ordens, cedendo a vontades de outros. Estou entre a espada e a parede e tenho de respeitar o que sinto acima de tudo. Não posso seguir a vida toda a ceder. Gostava que me entendessem e me apoiassem, pois sei que gostam de mim. Mas a maneira como o demonstram é estranha, a forma de me tentarem apoiar não é a melhor. Deixem lá, vou deixar-vos em paz e partir. Acredito que nenhum de nós quer verdadeiramente que eu vá. Eu já disse que não queria, mas se vos perturbo assim tanto com a minha maneira de viver a vida, assim o farei. Vou, magoada, triste. Nem sei se voltarei ou não. Mas sinto que indo, ser-me-à difícil voltar. Céus, nunca imaginei que realmente me virassem as costas. Pensam que faço tudo para vos provocar e magoar. Sigo os meus sentimentos e não abdicarei deles. Não me envergonho de gostar de alguém. Tentarem controlar a minha vida, …

Amigos são Família

A família é a base. A família é tudo. E a família pode ser a primeira e virar-nos as costas e não nos apoiar. A família deve ser a mão estendida e não o dedo apontado a nós, julgando-nos.
A família é a nossa protecção, o ninho que nos acolhe quando erramos, quado caímos, choramos, o ninho quente e acolhedor que nos recebe para rir com a nossa alegria e chorar com a nossa dor. A família, começo a pensar, não se resume a laços de sangue, mas sim a quem está presente no bem e no mal. A família tornou-se pequena de repente e sinto-me nua, despida, frágil, pequena. Não me sinto indecisa nem insegura, porque não acho que tenha de fazer uma escolha. Não se pode escolher entre a família e amor, porque os dois são necessários. ´
A família ficou pequena e eu fiquei triste. Mas aceito a força dos que estão comigo, dos que me apoiam em qualquer situação. Sei que por cada estalo que me derem, cada olhar de vergonha que me lançarem, cada dedo que me apontem, costas que me voltem, mãos que não estenda…