Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2011

Reflectir

Lembro-me de estar sentada a olhar para o nada e pensar o que é que eu queria para mim afinal? O que é que me faltava? O porquê desta luta incessante em procurar motivos para me sentir infeliz?
Sempre fui muito assim.
Lembro-me de estar sentada no jardim, ouvir os pássaros e pensar "o que é que se passa contigo?". Comecei a pensar em tudo o que me rodeava, nas pessoas que eu amo e que me mostram amor, mos momentos maravilhosos que passo com elas e em tudo o que conquistamos. 
E, sabes, num vislumbre, imaginei-nos num futuro próximo (quem sabe?). E todas as imagens que me apareceram foram de extrema felicidade, cumplicidade e vi uma família feliz. Por um momento, consegui imaginar como poderia ser e seria tudo bom. E isso fez-me sentir tão tranquila. Pensei algo do género: seja o que for, aconteça o que acontecer,  entre nós os dois, só pode ser bom!
E depois, continuei a pensar em mim. Em todas as minhas crises, altos e baixos, instabilidade a todo o tempo, mudanças de humor. Tu…

procurar o lado bom

Não somos iguais e, felizmente, nunca seremos. Mas, não posso deixar de ficar um pouco triste às vezes, quando sinto que as coisas que mais gosto de fazer, aquilo que me motiva e no que me empenho, são também coisas que não entendes e que te magoam. Pode parecer estranho, mas sabes: eu não gosto de te magoar! (Só para que conste, não vás tu pensar que eu sinto imenso prazer nisso, porque não sinto!). Eu sei que às vezes tenho dificuldade em organizar o meu tempo e dividi-lo de forma justa e coerente. Sei disso e aos poucos acho que vou conseguindo fazê-lo melhor. Mas acabo por me sentir derrotada quando sinto que faço algo que eu vejo como um "passo", um "avanço" e tu não vês ou  focas-te noutro aspecto e voltas a reclamar. Sinto que só vez o que faço pior, o negativo, o mau, o que não está bem, sem conseguires ver o meu esforço, as minhas melhorias. Eu amo-te e gostava de poder partilhar esta parte da minha vida doutra forma contigo. Não estou a dizer que tens culpa…
Há muita coisa que tenho aprendido ultimamente e frases que ouvi e acho que nunca mais vou esquecer. Coisas como: "Falsas esperanças não existem!" "Há uma diferença entre o bom e o muito bom (e é lá em cima que nós queremos estar!!)"
"A atitude é tudo!"
E, aconselho a toda a gente, a procurar informações sobre o programa Son-Rise - método de recuperação de crianças autistas - por é válido e benéfico para todos nós. Desde que o conheço e trabalho com ele que vejo as coisas de maneira diferente. Faltam-me muitas coisas e uma delas é conseguir aplicar o Son-Rise ao meu dia-a-dia, para melhor saber lidar com os desafios diários.
Também aprendi outras coisas que são igualmente válidas, apesar de se focarem mais em defeitos meus. Tais como: Não sou muito boa a organizar o meu tempo entre várias coisas que gosto e me dão prazer.  Quero fazer tudo, chegar a todos todos os dias. Esqueço-me que os dias SÓ têm 24h. Esqueço-me que o mundo não acaba amanhã. Sou capaz de me d…

Um grande obrigado!

Não tenho palavras para expressar o que senti nestes últimos dias. Conheci pessoas maravilhosas e aprendi muito. Esta pequena "tour" com a Vencer Autismo, entre Lisboa, Porto e Madrid foi simplesmente fabulosa. Sempre soube que as pessoas que fundaram a associação (Susana e Joe) era pessoas excepcionais, mas agora percebi que somos todos nós uma grande equipa, cheia de força para levar isto adiante. É dificil explicar, mas têm sido poucos os momentos em que me tenho sentido bem de facto - como se estivesse no sitio certo, à hora certa, como se tudo batesse certo, tudo fizesse sentido e eu me sentisse simplesmente feliz. Pois, estes dias foram assim. Libertei-me de muita coisa e cresci - mesmo em tão poucos dias, sei que cresci. Tive o prazer enorme de conhecer o grande Raun Kaufman, de falar com ele, de trocar ideias e percebi que é de facto, uma excelente pessoa. Também tive o prazer de falar com pais, partilhar experiências e ouvir as suas histórias e sorrir ao perceber que…